TOMAR A DECISÃO DE SER FELIZ!

Qual é a importância de tomar a decisão de ser feliz? Parece uma fala simples, boba e até inocente, mas isso é muito sério. Se você não tomar a decisão de ser feliz, simplesmente vai passar pela vida como uma pessoa comum, talvez até se queixando de um monte de coisas que gostaria de ter e não tem. Infelizmente, a vida que poderia ser fantástica, maravilhosa e lhe trazer vários resultados positivos vai acabar sendo um caminho difícil, um trânsito empacado, que não anda, que não segue adiante. Porque muita gente não toma uma decisão.

Há pessoas que ficam empurrando com a barriga decisões importantes e vão cultivando um estado de espírito negativo. Há pessoas que ficam o tempo todo se queixando da vida e do trabalho. Há pessoas que se queixam daquilo que não têm. Há pessoas que se queixam que gostariam de ter uma vida diferente, mas não fazem aquilo que lhes cabe para ter uma vida diferente e não tomam a decisão de ser feliz. Vemos muitas pessoas que reclamam do trabalho, reclamam do chefe, mas não se preparam para ter um novo emprego; reclamam que não passam em concurso, mas não estudam de maneira adequada; reclamam que não são felizes no amor, mas continuam sendo ciumentas, inseguras, às vezes pegajosas, egocêntricas, o que, consequentemente, afasta as boas companhias, as pessoas agradáveis. Há muitas pessoas que, infelizmente, vivem se queixando da vida, mas não tomam a decisão de que necessitam para ter a vida que realmente merecem. Esse é o nosso ponto aqui. Então, o que você pode fazer para ser feliz agora? Ou, pelo menos, para que possa sentir-se melhor, se não tiver a felicidade absoluta? Você deve fazer a sua parte. Isso é muito importante.

Quando eu me formei no 2º grau, com 16 anos, eu era o mais jovem da minha turma e, na época, queria fazer vestibular. Nunca tinha tirado uma nota vermelha em minha vida, eu era sempre aquele que tirava as melhores notas na minha sala. Sempre gostei muito de estudar, dava aulas para meus colegas, e assim por diante. Naquela oportunidade, fui prestar vestibular e não passei. Foi muito frustrante, porque prestei vestibular para um curso que era muito concorrido e acabei escolhendo uma universidade pública, que era mais difícil de entrar. Foi muito difícil porque eu tive que lidar com uma frustração que nunca tinha vivenciado na vida. Eu vi colegas de sala que estudavam bem menos que eu, que eu sabia que eram bem mais preguiçosos mas tinham passado. Tinham, na época, escolhido faculdades mais fáceis, cursos mais simples.

Naquele momento, uma das maiores lições na minha vida aconteceu. Eu pude perceber que nem sempre o resultado é proporcional a quem você é. Por exemplo, eu sabia que estudava mais que muitos deles, mas o resultado que eles tiveram foi melhor que o meu, porque tinham alcançado o resultado que queriam, que era passar na faculdade em que escolheram estudar. Não tinha nada a ver se era uma faculdade difícil ou concorrida. Mas o meu resultado não tinha sido legal. Então, fiquei pensando e questionei minha autoestima, me senti muito triste, muito chateado, porque eu me esforcei tanto e não tinha conseguido passar. Demorei uns dois ou três meses para me recuperar. Enfim, o tempo passou, e aprendi o que eu tinha de aprender naquele momento da vida e, graças a Deus, os resultados foram muito positivos.

Onde eu quero chegar contando essa história para você? Temos de aprender a tomar decisões importantes na vida, e uma das mais importantes decisões que nós temos de tomar é que precisamos ser felizes ou temos de escolher ser felizes. Ninguém vai escolher ser feliz por você. Naquele momento, eu tinha claramente em minha mente que queria ser feliz, que eu queria ser uma pessoa capaz de ter uma profissão, de entrar em uma faculdade, de estudar. Eu vinha de uma família muito pobre, com muita dificuldade financeira. Não tinha muita chance e precisava me dedicar. Não tinha ninguém que pudesse me ajudar financeiramente, ou me indicar para um cargo, ou que eu herdasse emprego de alguém. Não existia nada disso. Eu tive de lidar com um monte de frustração, além da baixa autoestima. Foi um momento muito difícil, mas foi o instante em que mais amadureci, foi o instante em que tive de tomar a decisão de ser feliz, o que significava que ia precisar ter paciência para começar de novo. Eu ia ter de me preparar para outro vestibular, eu ia ter de mudar muitas coisas em minha vida para alcançar o resultado que eu queria. E não adiantaria nada ficar choramingando pelo que eu não tinha.

Eu me lembro disso com muito carinho porque, na época, eu sei o quanto foi difícil. Mas, graças a Deus, passou. Graças a Deus, a vida trouxe aquela dificuldade para mim. Fico sempre imaginando que, se tivesse passado naquele vestibular de primeira, no curso que eu queria, certamente minha vida seria muito diferente do que é hoje. Talvez nem tanto pela profissão, que seria diferente da que tenho, mas porque eu não teria aprendido o que aprendi naquela época, tão importante e ainda jovem. Você tem de tomar a decisão de ser feliz e saber que, no meio do caminho, vai haver percalços e dificuldades, mas também não pode desistir. Acredito que isso vale para tudo na vida.

Hoje, quando atendo um cliente em meu trabalho, vejo como é diferente atender pessoas que são focadas, que sabem o que querem e pessoas que não sabem o que querem, que vivem duvidando de si mesmas, pessoas que não acreditam na vida ou nelas mesmas. Todo mundo tem problema, todo mundo tem dificuldade, todo mundo tem algo a se queixar, se assim o quiser. A diferença é que algumas pessoas sabem lidar melhor com seus problemas. Ou seja, enquanto uns choram, outros vendem lenços.

Eu não sei quais são seus sonhos, mas pense: se você está triste porque seu casamento não está legal ou porque seu filho está doente, se você tem uma doença complicada e precisa se tratar, se está faltando dinheiro, ou seja lá que motivo for, não importa, lembre-se de escolher ser feliz. Você tem de ser determinado, buscar recurso, buscar alternativa para alcançar o resultado que quer. Sei que não é fácil, que não são palavras bonitas que vão fazer com que as coisas aconteçam. Longe de mim simplificar questões tão importantes da vida, só mesmo o tempo e atitudes certas podem resolvê-las, mas uma coisa é certa: a motivação, o foco e a energia centrados naquilo que você quer fazem uma diferença enorme. Concorda em que é muito melhor ter a energia centrada que ter a energia da dúvida, da angústia e do receio, que não fazem sentido nenhum? Então, tome a decisão de ser feliz.

Desejo que você tenha realmente muitas decisões sábias para que possa se sentir mais feliz. Sacuda a poeira! Jogue o medo e a insegurança para lá e vá fazer sua parte, meu amigo. Deus ajuda quando você se ajuda, pode ter certeza disso. Faça sua parte que Deus, sem dúvida, fará a Dele.